caroline-trentini-sol-interna

Sol: falta de exposição à luz pode afetar a saúde

A exposição solar moderada promove uma série de benefícios à saúde física e mental. Um estudo publicado em 2014 comprovou que os trabalhadores que tinham janelas em seus postos de trabalho apresentavam hábitos de sono mais saudáveis do que os que estavam longe da luz natural.

Também há evidências de que ficar exposto ao Sol ou em um local em que a maior incidência de luz venha dele melhora o humor e eleva a produção de melanina e de vitamina D no organismo.

Normalmente, era possível se expor à luz solar por alguns minutos ao percorrer o caminho do trabalho ou da aula, mas, com a quarentena adotada como medida de contenção do coronavírus, a prática pode ser prejudicada. Em todos os casos, o ato de tomar Sol não deve ser esquecido.

Locais

“Seja na sua varanda, ou na janela do apartamento. Mas atenção: os vidros precisam estar abertos, porque eles bloqueiam o raio ultravioleta B, responsável pela síntese de vitamina D. Receba essa luz solar diariamente, se possível, e sempre protegendo e evitando expor a face”, ressalta a dermatologista Ana Paula Caramori.

Benefícios

Em meio a uma doença nova, que a cura ainda é desconhecida e que vacinas estão em fase de testes, tomar Sol é importante também para fortalecer o sistema imunológico. Isso acontece com a produção de vitamina D – nutriente com função de hormônio -, que fica responsável pelo fortalecimento da imunidade. Além disso, o organismo terá maior facilidade para absorver cálcio, que é responsável pelas ações ósseas. Os demais benefícios são a prevenção de doenças como diabetes, hipertensão e alguns tipos de câncer.

Além da exposição solar, há outras formas de absorção que podem complementar a ação natural. “A vitamina D também pode ser encontrada em suplementos, em alimentos enriquecidos com ela e de origem animal e em alguns vegetais e cogumelos irradiados. Porém só com a ingestão de alimentos não é possível repor o necessário, e, no caso de uma suplementação sem acompanhamento médico, existem riscos, sendo mais indicado tomar Sol”, explica Maria Fernanda Barca, doutora em endocrinologia e membro da Sociedade Europeia de Endocrinologia.

Como tomar Sol

O ideal é que as pessoas se exponham de 10 a 15 minutos por, pelo menos, três vezes na semana e, de preferência, fora dos horários de maior incidência de raios ultravioleta, que acontece das 10h às 16h. Isso porque esses são os períodos de maior incidência dos raios UVA e UVB, que penetram na derme e podem causar queimaduras e até câncer de pele.

“A síntese acontece muito rapidamente, e, se houver um excesso de exposição, o consumo de vitamina D acaba sendo comprometido. Então, não se recomenda, nem mesmo com filtro solar, ficar se expondo intencionalmente”, afirma o coordenador científico da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Helio Miot.

Acesse o link do Portal da Revista Harper´s Bazaar: https://harpersbazaar.uol.com.br/beleza/sol-falta-de-exposicao-a-luz-pode-afetar-a-saude/

Deixe um Comentario

START TYPING AND PRESS ENTER TO SEARCH